Honda Civic

Versões Civic

CivicSport

Resumo

Tem o mesmo conjunto mecânico do Civic LX, mas acrescenta paddle-shifts com 7 marchas e detalhes no visual.

CivicLX

Resumo

Versão de entrada 2.0 flex com câmbio CVT vem com ar digital, freio eletrônico, seis airbags, câmera de ré, controle de estabilidade e assistente de saídas em rampas.

CivicEX

Resumo

Tem o mesmo conjunto mecânico do Civic LX, mas acrescenta paddle-shifts com 7 marchas.

CivicEXL

Resumo

Soma aos equipamentos bancos em couro, acendimento automático dos faróis, partida por botão, sensor de chuva e ar com duas zonas, além de itens de segurança ativa.

CivicTouring

Resumo

Versão esportiva com motor 1.5 turbo a gasolina. Acrescenta teto solar elétrico, som exclusivo com 10 alto-falantes, carregador por indução e frenagem de emergência.

Resumo Civic:

O Honda Civic é dos poucos sedans que é o carro de maior sucesso de uma montadora, isto porque a Honda investe em tecnologia e design. O sedan está disponível em 5 versões, 4 com motor 1.5 turbo e a Touring com motor 2.0 turbo, todas com câmbio CVT.

O Honda Civic 2020 tem poucas alterações no design com relação ao modelo 2019, o carro recebeu uma grade dianteira cromada maior. Na traseira nosso velho conhecido continua o mesmo com as lanternas em formato de bumerangue e na versão Touring tem detalhe cromado na terminação inferior do pará-choque e a inscrição turbo que mostra que o motor também é diferente. O Honda Civic LX não tem faróis de neblina e faróis em LED, deixando o visual bem simplista para um carro da faixa de preço e segmento que está inserido.

Nas versões LX, Sport, EX e EXL, o Honda Civic vêm equipado com o motor 2.0 flex com 16 válvulas e injeção direta que entregam 155 cavalos de potência máxima. O da versão topo de linha é um 1.5 turbo com 16 válvulas e rende 173 cavalos de potência, mas é oferecido somente à gasolina, não havendo motorização flex. A tração é dianteira e o câmbio é CVT com sete posições que simulam marchas para o motor em todas as versões, exceto na versão LX que traz o mesmo câmbio, mas sem a opção de comando para a mudança de marchas manualmente.

Com o motor 1.5 turbo da versão Touring, a velocidade máxima é de 220 km/hora e o Honda Civic acelera de 0 a 100 km/hora em 7,6 segundos. Nas versões com o motor flex 2.0, atinge 195 km/hora de velocidade máxima e chega aos 100 km/hora em 10,9 segundos. O consumo é bastante razoável em se tratando de um motor 2.0 que tem um bom comportamento, quando abastecido com gasolina roda 8,9 km/litro na cidade e 14,4 km/litro na cidade. Os números com álcool são 7,2 e 11,8 km/litro, respectivamente na cidade e na estrada. Na versão Touring, o consumo surpreende, por se tratar de um motor 1.5, ele faz 12,0 km/litro na cidade e 14,6 km/litro na estrada, consumo próximo de carro popular com desempenho de esportivo.

A suspensão do Honda Civic é independente nas quatro rodas o que gera um rodar bem silencioso, mas o carro é mais firme e baixo que seus concorrentes e acaba gerando algum desconforto. A posição de dirigir mais baixa é prazerosa para quem gosta de carros com modo mais esportivo de dirigir, mas para ficar mais confortável a direção na estrada fica devendo piloto automático adaptativo.

Confortável de verdade só as versões EXL e Touring do Honda Civic 2020 que tem banco do motorista com regulagem elétrica em altura, distância e lombar, além de saídas do ar-condicionado para quem viaja atrás. No LX o acabamento é mais escuro com muitas peças em preto parecendo bastante espartano pelo preço, mesmo nesta versão. Já as versões ELX e Touring são bem mais sofisticadas com o acabamento cinza que deixa o ambiente com algum requinte. Viajam bem quatro passageiros e até há espaço para cinco passageiros, mas o projeto da parte traseira foi mal executado e deixou uma elevação bem acentuada no encosto e no assento de quem viaja no meio, uma pena, porque o Honda Civic é um dos sedans com melhor espaço interno, mas a Honda falhou nisto para que viajem cinco pessoas com conforto. O porta-malas é bem generoso com seus 517 litros, tem muito espaço, mas as alças da abertura são descobertas e podem machucar alguma bagagem mais sensível.

Nas versões Touring e EXL, o Honda Civic tem bancos em couro com pequenos detalhes em tecido, acendimento automático dos faróis, sensor de chuva, chave presencial com botão nas portas para destravamento e partida por botão. O ar-condicionado é digital em todas as versões, mas somente nas versões topo de linha, EXL e Touring, tem duas zonas, também presente em todas as versões está o freio de estacionamento eletrônico. Exclusivos na versão Touring são o teto solar elétrico e o incrível sistema de som com 10 alto-falantes.

O kit multimídia do Honda Civic é bem posicionado com uma grande tela de 7 polegadas, com espalhamento para Android Auto e Aplle Car Play e GPS integrado, a saída USB e HDMI estão praticamente escondidas debaixo do console e equipa as versões EXL e Touring, mas somente a Touring traz carregamento para celulares por indução. A versão LX não tem kit multimídia, na verdade só tem o rádio com mostradores em uma tela digital que também serve para espelhar a câmera de ré. O painel comum a todas as versões agrada, ele é separado em três partes por uma sobressaliência plástica com a parte central digital com mostrador de velocidade e hodômetro e algumas informações do computador de bordo, na esquerda mostrador da temperatura do motor e na direita o do nível de combustível.

Nos itens de segurança, o Honda Civic vem equipado com 6 airbags (dois laterais, dois de cortina e os dois frontais obrigatórios) em todas as versões, assim como a câmera de ré, mas somente nas versões topo de linha oferece o guia de visão. Sensores de estacionamento na dianteira e na traseira também só estão nas versões topo de linha Touring e EXL, a Honda peca e muito nisto, já que todas as versões tem preço equivalente a seus concorrentes que trazem o equipamento e inclusive há muitos carros mais baratos que o oferecem. De resto, o básico para um carro deste segmento, equipa todas as versões, os cintos de segurança e apoios de cabeça para três passageiros, ganchos isofix, controle de estabilidade e assistente de partida em rampa. Fica devendo frenagem automática comum já em carros mais baratos e oferecido somente na versão Touring e o alerta de mudança de faixa não oferecido em nenhum versão.

O Honda Civic 2020 continua caro em comparação com seus concorrentes Toyota Corolla e Chevrolet Cruze que foram remodelados mais recentemente e são bem mais equipados. O que continua garantindo o relativo sucesso de vendas é a confiabilidade dos consumidores na montadora. Outra diferença é que o Honda Civic tem maior apelo esportivo enquanto Toyota Corolla, Chevrolet Cruze e Volkswagen Jetta primam mais pelo conforto, é questão de perfil e de aceitar um projeto ultrapassado e espartano, mas que te traga a confiança Honda.

O consumo do Honda Civic 2.0 flex é de 12 km/litro na cidade e 14,6 km/litro na estrada com gasolina. Com álcool o consumo é de 7,2 km/litro na cidade e 11,8 km/litro na estrada.

O Honda Civic 1.5 turbo tem 173 cavalos de potência máxima alcançando a velocidade máxima de 220 km/hora e acelerando de 0 a 100 km/hora em 7,6 segundos.

O Honda Civic é comercializado a partir de R$ 103.200,00 em sua versão de entrada, o Honda Civic LX manual, até R$ 142.200,00, na versão topo de linha, o Honda Civic Touring 1.5 turbo.