Ganhe R$500,00 em RappiCréditos ao comprar um carro na Karvi com a logo da Rappi!

Honda Fit

Versões Fit

Fit

DX

Resumo

Motor 1.5 16 válvulas, com câmbio manual de cinco marchas, ar-condicionado manual, vidros, travas e retrovisores elétricos. Airbag duplo,

Fit

Personal

Resumo

Versão básica com motor 1.5 16 válvulas e câmbio CVT. Traz o básico em equipamentos e as rodas são de aço.

Fit

LX

Resumo

Mesmo conjunto mecânico que o Fit Personal acrescenta rodas de liga-leve.

Fit

EX

Resumo

Vem com câmbio CVT com 7 marchas, ar-condicionado digital, kit multimídia, quatro airbags, assistente de partida em rampas e controle de tração e estabilidade.

Fit

EXL

Resumo

Mesmo conjunto mecânico do Fit EX, acrescenta piloto automático, ar-condicionado digital,rebatimento elétrico dos retrovisores, bancos em couro e conta com seis airbags.

Resumo Fit:

Monovolume baseado no City, o já defasado Honda Fit por ser um carro praticamente sem concorrentes, ainda tem seu público cativo, principalmente por seu amplo espaço interno e mecânica confiável, o Fit está disponível em 5 versões com motor 1.5 (somente a de entrada com câmbio manual).

O Honda Fit desde esta última remodelação tem a dianteira com a identidade da marca, com um grande detalhe cromado acima da saída de ar, na versão EXL a grade frontal é em black piano na parte central e um detalhe cromado de ponta a ponta passando abaixo dos faróis. No para-choque a entrada de ar ficou maior seguindo o padrão colmeia que também faz parte da nova identidade da Honda e o spoiler que fica na parte inferior. Na versão EXL os faróis são em LED e faróis de neblina, nas outras versões é vendido como acessório. Na lateral somente a versão DX não tem o repetidor de seta na lateral e os fortes vincos da lateral vão desde a caixa de rodas até as lanternas traseiras na altura da porta. Já na traseira, a remodelação de 2018 não trouxe mudanças no visual, somente a alteração das lanternas em LED e o para-choque ficou muito mais robusto aumentando 8 centímetros.

Todas as versões do Honda Fit vêm com o conhecido motor 1.5 com 16 válvulas da Honda que entrega 116 cavalos. Na versão de entrada DX, o Honda Fit vem com câmbio manual de 5 marchas, nas versões Personal e LX ele é equipado com o câmbio CVT e nas versões EX e EXL há a borboleta para mudanças das 7 marchas simuladas.

Por se tratar de um monovolume compacto o Honda Fit tem um desempenho razoável, ele acelera de 0 a 100 km/hora em 12 segundos e atinge a velocidade máxima de 172 km/hora, nada que surpreenda, mas tampouco é isto que se espera de um carro deste segmento. No consumo segue este padrão, não chega a números incríveis, mas tampouco desaponta. Quando abastecido com gasolina o Honda Fit roda 12,3 km/litro na cidade e 14,1 na estrada, já com o etanol ele faz nestas mesmas circunstâncias 8,3 e 9,9 km/litro de combustível.

Com os engates precisos e suaves do câmbio CVT da Honda, o Fit é bastante confortável para dirigir com boas respostas e baixo nível de ruído. A direção recalibrada como no seu irmão maior o Honda Civic ajuda na estabilidade o que melhora nas versões EX e EXL que estreiam em 2020 o controle de tração e estabilidade no Honda Fit. A direção elétrica progressiva, o bom posicionamento dos bancos e o volante com regulagem de altura e profundidade em todas as versões fecham o kit do Honda Fit para uma boa dirigibilidade ajudada também pela sua altura.

Os cuidados que a Honda tem com o ruído interno de seus sedans mais caros também estão presentes no Honda Fit, o capô tem uma manta que isola o ruído do motor e o carro é bastante silencioso. Viajam muito bem quatro pessoas no Honda Fit e o carro conta com regulagem do encosto no banco traseiro, até um quinto passageiro tem mais conforto do que em SUVs compactos, o túnel do escapamento é baixo o que ajuda e muito este quinto passageiro. O porta-malas está na média de seus concorrentes no segmento de SUVs e tem 363 litros de capacidade.

Mais espartano do que as versões básicas do Honda Fit é quase impossível, nas versões DX e Personal o ar condicionado é manual, as rodas do Honda Fit Personal são de aço, coisa que só os populares mais baratos ainda mantêm. Nas versões EX e EXL o ar condicionado é digital, mas nem na versão mais completa tem duas zonas, as rodas das duas versões são de liga leve e aro 16, nas intermediárias DX e LX é de liga leve também, mas com aro 15. Na versão EXL do Honda Fit ainda podemos encontrar bancos em couros, rebatimento elétrico dos retrovisores e as lanternas traseiras são em LED. O piloto automático está presente nas versões Personal, EX e EXL, mas é o modelo que continua sendo usado somente em projetos antigos como o Honda Fit, ele não é adaptativo.

O projeto velho do Honda Fit também se reflete na tecnologia, a versão básica DX tem só um rádio comum, a versão Personal nem isto oferece e a versão intermediária LX tem um rádio que dizem ser multimídia, mas não tem mais do que uma tela que reproduz as informações do rádio. Multimídia mesmo só nas versões EX e EXL com interface para smartphones, mas fica devendo carregamento por indução e o GPS integrado, algo bastante básico para carros deste segmento e inclusive de segmentos inferiores, é oferecido somente na versão topo de linha, a EXL. O painel é bastante básico com velocímetro, conta-giros e informações do computador em tela de baixa resolução, o console é todo em plástico, mas com peças muito bem ajustadas, característica da Honda.

Os itens de segurança do Honda Fit estão bem longe de poder fazer frente aos seus concorrentes, as versões DX e Personal só trazem os dois airbags obrigatórios, freios ABS e ganchos Isofix, ou seja, a Honda não se preocupou em pôr nenhum item que não seja obrigatório por lei. A versão LX traz a mais assistente de saída em rampa e de tração e estabilidade, também presentes na EX, que tem 4 airbags e na EXL que conta com seis airbags.

Quando falamos de monovolume, o Honda Fit reina sozinho no mercado brasileiro e é a compra certa se você busca este tipo de carro, com mecânica confiável e melhor espaço interno que os SUVs compactos e os hatchs que concorrem quando o comparamos por faixa de preço. A linha 2021 do Honda Fit que deve chegar ao Brasil com as mudanças já apresentadas no Japão e desta vez ele não virá só com uma remodelação, será a quarta geração do Honda Fit que virá mais moderno, mais seguro e mais bem equipado. Mas a versão do Honda Fit 2020 continua sendo uma boa compra para quem precisa de espaço interno, boa dirigibilidade e a confiança da mecânica Honda.

Perguntas Frequentes (FAQ)

O consumo do Honda Fit é de 12,3 km/litro na cidade e 14,1 km/litro na estrada com gasolina. Com álcool o consumo é de 8,3 km/litro na cidade e 9,9 km/litro na estrada.

O Honda Fit tem 116 cavalos de potência máxima alcançando a velocidade máxima de 172 km/hora e acelerando de 0 a 100 km/hora em 12 segundos.

O Honda Fit é comercializado a partir de R$ 64.153,00 em sua versão de entrada, o Honda Fit DX manual, até R$ 86.475,00, na versão topo de linha, o Honda City EXL CVT.